6 boas práticas para uma teleconsulta

A pandemia do novo coronavírus mostrou a importância da telemedicina. Isso porque, com o alto risco de contaminação, a regulamentação do atendimento por teleconsulta foi essencial nas estratégias de prevenção.

No entanto, a demanda pelo atendimento à distância não se restringiu apenas aos casos de suspeita de contaminação pelo coronavírus. Muitos profissionais da saúde se adaptaram ao novo modelo de consultas, em diversas áreas. A possibilidade de realizar um atendimento à distância com a mesma qualidade do presencial trouxe mais segurança em um momento em que o isolamento social foi tão necessário.

Por isso, é necessário que os profissionais se preparem para oferecer um atendimento humanizado, garantindo que a teleconsulta terá a mesma qualidade de uma consulta presencial. Continue a leitura e confira!

Os desafios da telemedicina

Nem todos os profissionais da saúde estavam familiarizados com o atendimento à distância. Afinal, a telemedicina não era permitida no Brasil antes da pandemia da COVID-19. Isso exigiu que os profissionais se adaptassem à nova realidade, iniciando rapidamente os atendimentos nesse modelo.

Para muitos médicos e pacientes, esse foi o primeiro contato com as consultas online. A novidade mostrou que a tecnologia pode proporcionar muitos benefícios ao setor da saúde, principalmente em um momento em que o distanciamento social se tornou tão necessário. Portanto, acredita-se que a telemedicina ainda será uma prática comum mesmo após o fim da pandemia.

Por isso, preparamos este artigo com 6 boas práticas para a realização de teleconsultas, essenciais para proporcionar um atendimento humanizado aos pacientes. Confira!

Escolha um ambiente profissional para realizar as teleconsultas

O atendimento por teleconsulta não precisa, necessariamente, acontecer dentro do consultório médico. No entanto, é importante que o profissional escolha um ambiente silencioso, em que ele não será interrompido durante a consulta.

Invista em um bom equipamento de vídeo e som

A webcam é um equipamento essencial para o atendimento por teleconsulta. Alguns dispositivos, como notebooks, já possuem uma. Além disso, a privacidade é essencial, portanto, o profissional deve utilizar um fone de ouvido com microfone durante todo o atendimento. Existem diversos modelos de fones que reduzem ruídos externos. Isso irá garantir um som de qualidade para o profissional e para o paciente, evitando, também, possíveis distrações.

Além disso, a iluminação do ambiente é essencial para garantir uma boa qualidade de imagem. Caso a luz natural do local não seja suficiente, invista em uma fonte de iluminação artificial.

Comunique-se com o paciente antes do atendimento

Para alguns pacientes, a telemedicina também é uma novidade. Por isso, nem todos saberão como funciona o atendimento se não houver uma comunicação efetiva entre o profissional e o paciente.

Após o agendamento, envie as instruções da teleconsulta para o paciente, pergunte se existem dúvidas sobre o atendimento. É importante orientá-lo, também, sobre conectar-se em um ambiente tranquilo, sem interferências externas. Além disso, é possível enviar um lembrete ao paciente. Isso pode ajudar a evitar atrasos ou ausências.

O profissional também pode enviar um tutorial com o passo a passo para se conectar à plataforma. Isso proporciona uma boa experiência ao paciente, fazendo com que ele se lembre disso quando precisar consultar-se novamente. Esse processo pode ajudar na fidelização dos pacientes, além de garantir um atendimento humanizado.

Defina os valores e a sua disponibilidade para atendimento

O valor cobrado pela teleconsulta é definido pelo profissional, e deve ser informado ao paciente, bem como as formas de pagamento, pois a cobrança será feita antes do atendimento. No entanto, é importante que haja transparência nas informações.

Além disso, o profissional deve definir a sua agenda e os horários de disponibilidade. Isso porque o paciente também tem acesso à agenda dos profissionais e pode agendar as consultas online. Portanto, é necessário definir as datas e horários, para garantir que o agendamento seja feito apenas em horários que o profissional estará disponível.

Separe alguns minutos antes da consulta para checar os aspectos técnicos

Reserve alguns minutos entre uma consulta e outra para evitar possíveis atrasos. É importante verificar se a conexão é estável e se a bateria do dispositivo está carregada. Dessa forma, caso seja necessário, você terá um tempo para conectar o computador à tomada.

Além disso, se houver algum imprevisto, você poderá avisar ao paciente antes do início da teleconsulta. Isso é importante para garantir que o atendimento não seja iniciado caso aconteça algum problema técnico.

Utilize uma plataforma de teleconsulta que esteja alinhada à LGPD

A Lei Geral de Proteção de Dados teve sua vigência integral no Brasil a partir de 2020. O objetivo da LGPD é proteger os dados pessoais e informações dos usuários. Portanto, essa lei também impacta o setor da saúde, com o intuito de proteger os dados dos pacientes, proporcionando maior segurança nos atendimentos por teleconsulta.

A W3.Care desenvolveu uma plataforma de telemedicina 100% nativa e alinhada à LGPD. O TeleCare Consultório é um consultório na nuvem completo, com todos os recursos necessários para facilitar a rotina do profissional da saúde. Através do certificado digital, o profissional pode acessar a plataforma em qualquer lugar.

Com o TeleCare, o profissional pode controlar a agenda, criar prontuários digitais, emitir laudos e prescrições, fazer a gestão do consultório e realizar teleconsultas sem a necessidade de utilizar aplicativos externos. Faça um teste grátis e conheça a plataforma que veio revolucionar o setor da saúde!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.