Dermatologista: quando procurar?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a dermatologia vai muito além da parte estética. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), existem mais de 3 mil doenças dermatológicas, que podem afetar indivíduos de todas as idades. 

A pele é o maior órgão do corpo humano, que protege todas as estruturas internas, e o dermatologista é o médico especialista no tratamento e na prevenção de possíveis doenças de pele. Quer saber mais sobre quando um dermatologista deve ser consultado? Continue a leitura e confira!

O que é dermatologia?

O dermatologista atua no diagnóstico, na prevenção e no tratamento de doenças da pele, cabelos, mucosas e unhas. Além disso, ele também é capaz de realizar procedimentos estéticos e orientar sobre cuidados gerais. É o profissional consultado para todas as questões da beleza da pele.

Como se tornar um especialista nessa área?

Mas, o que fazer para se tornar um dermatologista? Para atuar na área, é preciso concluir a graduação em Medicina, e, posteriormente, se especializar através de uma pós-graduação ou da residência médica. O curso dura entre 3 e 4 anos e exige dedicação integral do profissional.

No entanto, a residência médica permite que ele atenda pacientes sob supervisão de um especialista, proporcionando uma experiência prática com casos reais. Além disso, trata-se de uma atividade remunerada, e por isso, muitos profissionais se interessam por esse tipo de especialização. Após a conclusão do curso, o médico poderá se registrar no Conselho Federal de Medicina (CFM) como especialista em Dermatologia.

Quando procurar um dermatologista?

A consulta com o dermatologista é indicada para pacientes de qualquer faixa etária. O atendimento com esse profissional é necessário para qualquer tipo de alteração na pele, unhas, mucosas e cabelos.

O profissional especialista em dermatologia está apto a tratar qualquer tipo de alteração nesses tecidos. Podem ser questões alérgicas, autoimunes, infecciosas e até estéticas. O dermatologista também está habilitado para realizar o tratamento de doenças na mucosa, que afetam boca, gengiva, língua, lábios e órgãos genitais. Por isso, assim como o ginecologista, é um profissional com expertise para o tratamento de doenças sexualmente transmissíveis (DST’s).

No entanto, recomenda-se que o dermatologista seja consultado mesmo se não houver nenhuma alteração nesses tecidos, pois os check-ups são essenciais para ajudar na prevenção de doenças e no cuidado à saúde. Afinal, o diagnóstico precoce pode auxiliar no tratamento e evitar complicações futuras. Por isso, não deixe de consultá-lo pelo menos uma vez ao ano.

Doenças que o dermatologista trata

Veja, a seguir, algumas das queixas mais comuns dos pacientes em consultas com os dermatologistas:

Acne e rosácea

A acne e a rosácea se manifestam no rosto, sendo a rosácea uma condição crônica mais comum em mulheres de pele clara. Ela causa a presença de manchas vermelhas e caroços no rosto. Já a acne é mais presente a partir da puberdade, e pode ser causada por desequilíbrios hormonais, síndrome do ovário policístico, estresse, má alimentação, entre outros.

Melasma

O melasma caracteriza-se por pequenas manchas em tom de castanho, e pode ser causado por fatores genéticos e pela exposição ao sol.

Micoses

As micoses são doenças causadas por fungos, que podem afetar diversas partes do corpo. Ela deve ser tratada com antifúngicos, e o ideal é que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível.

Dermatite seborreica

A dermatite seborreica é uma alteração nas glândulas sebáceas e apresenta manchas vermelhas acompanhadas de coceira e descamação da pele. É comum no couro cabeludo, barba, costas e peito.

Alopecia

A alopecia, conhecida também como calvície, causa a queda de cabelo. O dermatologista pode indicar tratamentos que podem reverter ou diminuir o quadro.

Câncer de pele

O câncer de pele se divide em três tipos: carcinoma espinocelular, carcinoma basocelular e melanoma. O melanoma é o mais letal. Esses tumores podem aparecer por condições genéticas ou por consequência da exposição solar.

Além disso, existem outras alterações que fazem com que os pacientes busquem a orientação do dermatologista. Confira:

  • Pele sensível ou muito ressecada;
  • Presença de cravos;
  • Unhas fracas ou com alterações na cor;
  • Celulite;
  • Flacidez e rugas;
  • Estrias;
  • Suor excessivo ou com odores desagradáveis;
  • Lesões e feridas que apresentam pus;
  • Psoríase;
  • Queloides e outros tipos de cicatrizes.

Procedimentos realizados pelo dermatologista

Durante a consulta com o dermatologista, ele irá identificar as possíveis soluções para as queixas dos pacientes. Ele pode indicar cuidados adequados para a pele e tratamentos tópicos para condições estéticas. Veja alguns dos procedimentos que o dermatologista pode fazer:

  • Remoção de tatuagens e depilação a laser;
  • Tratamentos para celulite, gorduras localizadas e estrias;
  • Remoção de pintas, cistos e lipomas;
  • Procedimentos estéticos que previnem e tratam os sinais do envelhecimento: toxina botulínica, preenchimento facial, peeling, entre outros;
  • Transplante capilar;
  • Cirurgias nas unhas;
  • Correção de cicatrizes inestéticas: queloides ou cicatrizes hipertróficas;
  • Biópsias;
  • Cirurgias de reconstrução através de enxertos e retalhos;
  • Tratamentos para o câncer de pele.

Por isso, não deixe para consultar um dermatologista apenas quando o problema estiver em fase avançada, isso pode afetar a eficácia do tratamento. Não hesite em buscar ajuda profissional após a presença de qualquer tipo de alteração.

Agora que você já sabe tudo sobre a consulta com um dermatologista, aproveite para ler também o nosso conteúdo sobre o pneumologista. A pneumologia é a especialidade para o tratamento de qualquer tipo de doença pulmonar ou respiratória. Clique aqui e confira!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.