Geriatra: o profissional indispensável para a saúde do idoso

O geriatra é o médico especializado na saúde do idoso, sendo essencial para a qualidade de vida dos pacientes. Ele deve ser consultado de forma preventiva e, também, para o acompanhamento do processo natural de envelhecimento.

O acompanhamento médico especializado é ainda mais essencial nessa etapa da vida, pois idoso tem novas demandas e necessidades. Por isso, o geriatra deve ser consultado de forma rotineira, cuidando de forma ampla do processo de envelhecimento.

Quer saber mais sobre a consulta com o geriatra? Continue a leitura e entenda mais sobre o assunto.

O que é Geriatria?

Para se tornar um geriatra, é necessário que o médico se especialize em Geriatria através da residência médica ou pela aprovação no concurso para a obtenção do Título de Especialista em Geriatria da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG). Dessa forma, o profissional estará apto a estudar e tratar condições relacionadas ao envelhecimento.

A Geriatria trata diversas condições que podem acometer os idosos, atuando de forma preventiva e, também, no acompanhamento integral das doenças. Durante a consulta, o geriatra irá avaliar aspectos como a memória, a capacidade física e a saúde dos pacientes.

Muitos pacientes acreditam que o geriatra deve ser consultado apenas a partir dos 60 anos. No entanto, é comum que ele também seja procurado por pacientes com 40 ou 50 anos, para tratar e prevenir doenças que possam surgir na terceira idade. Além disso, o geriatra também está apto a realizar tratamentos de doenças que não tem cura, chamado de cuidados paliativos, com o objetivo de garantir mais qualidade de vida da paciente.

Doenças tratadas pelo geriatra

Como mencionamos acima, existem diferentes condições que podem afetar indivíduos idosos. Veja quais são as mais comuns:

Demências

As demências são doenças que causam alterações na cognição e na memória. Embora sejam mais comuns em idosos, também podem ocorrer em pessoas com idades a partir de 40 anos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que existam 47,5 milhões de pessoas com demência no mundo. As suas formas mais comuns são:

Doença de Alzheimer

A Doença de Alzheimer representa cerca de 50% a 70% dos casos de demência, sendo a forma mais comum. Trata-se de uma doença degenerativa que afeta o cérebro, prejudicando suas funções e capacidades.

Demência Vascular

A Demência Vascular está associada aos problemas de circulação do sangue para o cérebro.

Doença de Parkinson

A Doença de Parkinson afeta o sistema nervoso central, causando tremores, problemas na fala, dificuldades nos movimentos e rigidez nos membros e articulações.

Osteoporose

A osteoporose é uma condição que fragiliza os ossos. É mais comum em mulheres a partir dos 45 anos.

AVC

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) ocorre quando o fluxo sanguíneo que vai para o cérebro é reduzido ou interrompido, privando as células de oxigênio e nutrientes.

Depressão

Embora possa ocorrer em indivíduos de todas as idades, a depressão pode impactar a vida do idoso de forma intensa, com uma recuperação ainda mais lenta.

Incontinência urinária

A incontinência urinária é caracterizada pela perda incontrolável da urina. Pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais frequente na população idosa. O tratamento precoce pode ajudar a prevenir possíveis complicações causadas pela doença.

Doenças cardiovasculares

As doenças cardiovasculares são mais comuns após os 60 anos. São elas: pressão alta; insuficiência cardíaca; cardiopatia isquêmica; valvopatia; arritmia; entre outras.

A importância da Geriatria

O geriatra não irá substituir outros especialistas, como, por exemplo, o cardiologista. No entanto, é possível realizar um tratamento multidisciplinar, unindo os conhecimentos de diferentes especialidades para garantir maior efetividade nos tratamentos médicos. Além disso, a gerontologia pode ser exercida por diferentes profissionais da saúde – fisioterapeutas, nutricionistas, enfermeiros, fonoaudiologistas – promovendo maior qualidade de vida aos idosos.

Por isso, não deixe de manter uma rotina de consultas com o geriatra. Além de realizar o acompanhamento de todas as mudanças que surgem durante o processo de envelhecimento, o profissional também irá atuar na prevenção e no tratamento de diferentes condições. Lembre-se: o diagnóstico precoce pode evitar que muitas doenças se agravem.

Agora que você já sabe como funciona a consulta com o geriatra, aproveite para ler também o nosso artigo sobre o ortopedista. Trata-se de um médico especializado nos cuidados que envolvem o sistema locomotor humano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.